Jornalista, Empreendedora, Consultora de Moda, Workaholic. Aquela dos 30 e poucos. Libriana, Shopaholic, camaleoa, "marketeira". Apaixonada por moda, cultura e qualidade de vida!

05 novembro 2016

A BIBLIOTECA ROCAMBOLE TEM UMA PROGRAMAÇÃO DIVERTIDA NO MÊS DE NOVEMBRO

No mês de novembro a Biblioteca Rocambole comemora o Dia Nacional da Cultura, a Semana da Música, Dia da Consciência Negra, o Dia do Inventor e ,com isso, traz programações especiais para divertir a criançada. Todas as atividades são gratuitas e destinadas a grupos escolares previamente agendados junto ao setor de Educação do Museu Imperial.
A contação de história começa nos dias 08 e 09, das 14h às 15h, homenageando o Dia do Inventor/Relações humanas com o livro “o Homem que Amava Caixas”, de Stephan Michael King, seguida da exploração de livros, jogos e fantoches da Biblioteca Rocambole.

O livro explora, delicadamente, a complexidade das emoções envolvidas quando se ama alguém, e mostra que, às vezes, o amor pode ser demonstrado através de atos e não de palavras. As ilustrações, de um colorido vivo, complementam o texto sensível e delicado.

No dia 10, das 14h às 15h, será a vez do livro “Carlos Gomes” da Coleção Crianças Famosas, de Nereide Santa Rosa. Além da contação de história, as crianças poderão participar de uma atividade de sensibilização musical para “sentirem” o estilo musical do compositor, comemorando a Semana da Musica e o Dia Nacional da Cultura.

Os livros da coleção Crianças Famosas contam episódios da infância dos maiores músicos, pintores e escritores da História Universal, mostrando sua genialidade precocemente revelada e apresentando-os ao público infantil do jeito que este mesmo público mais gosta: como crianças iguaizinhas a ele. Nereide Santa Rosa conta um pouco da história do pequeno Carlos Gomes que, entre seu trabalho em uma alfaiataria, costurando calças e paletós, e suas brincadeiras de infância, encontrava muito tempo para se dedicar ao que mais gostava: a música.

Nereide S. Santa Rosa é escritora, pedagoga e arte-educadora. Sua obra é direcionada à cultura e as artes em geral, tendo recebido o Prêmio Jabuti de 2004 e vários prêmios da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil com a Láurea Altamente Recomendável. Desde o seu primeiro livro infanto-juvenil, Villa Lobos, publicado pela Callis Editora na Coleção Crianças Famosas (1994), Nereide já publicou quase cinquenta títulos até o momento. 

Já no dia 16, das 14h às 15h, o conto será “As Aventuras do Avião Vermelho”, de Erico Veríssimo. Logo após será realizado exploração de livros, jogos, e fantoches da Biblioteca Rocambole.

O livro de Erico Veríssimo conta a história de Fernando, que não era nada obediente. Para tentar resolver esse problema, o pai lhe dá um livro. Todo feliz, Fernando passa a tarde lendo histórias. E adora a do valente Capitão Tormenta, que percorre o mundo num avião vermelho.
De tão animado Fernando decide que vai ser aviador. Quando ganha um aviãozinho vermelho, brinca de ser Capitão Tormenta. Em companhia de seu ursinho ruivo e do
boneco Chocolate, ele passeia pela Lua, pela China, pela África e chega à Índia. No percurso, enfrenta relâmpagos, ventanias e até um exército de tico-ticos.

Erico Verissimo dizia que era apenas “um contador de histórias”. Contou muitas histórias para gente grande, mas também gostava de contar histórias para crianças, em livros como este. Ele é considerado um dos melhores escritores brasileiros da sua época, e foi um dos mais populares. Muitos de seus livros foram traduzidos em outras línguas.

No dia da Consciência Negra, 17 de novembro, das 14h às 15h, será a contação de história do livro “Contos africanos para crianças brasileiras”, de Rogério Barbosa, acompanhado de oficina criativa.

O livro escolhido reúne dois contos de temas universais e tradicionais, que pertencem à literatura oral de Uganda; o primeiro fala de como nasceu a inimizade entre o gato e o rato, e o segundo, do motivo pelo qual os jabutis têm os cascos "rachados". O autor fez algumas adaptações para o leitor brasileiro, mas manteve as características próprias da região de origem, que permitem conhecer uma pequena parte da cultura daquele país, de belezas estonteantes. Propõe, ainda, que as crianças pesquisem e comparem as versões já conhecidas e, assim, passem a reconhecer a riqueza que nasce da diversidade.

Rogério Andrade Barbosa trabalhou como professor voluntário, a serviço das Nações Unidas, durante dois anos em Guiné-Bissau, na África. Desde que retornou ao Brasil, escreveu dezenas de livros para crianças e jovens, muitos deles baseados na fantástica literatura tradicional africana. Recebeu vários prêmios, até mesmo no exterior.

Nos dias 22 e 23,  das 14h às 15h, ainda homenageando o dia da Consciência Negra, a contação de história será do livro “O Amigo Rei”, de Ruth Rocha. Ao final da leitura, haverá exploração de livros, jogos e fantoches da Biblioteca Rocambole.

“O Amigo do Rei” fala sobre o tempo da escravidão, quando os brancos e negros não podiam ser amigos, não. Mas, para as crianças, quem manda é o coração. O escravo Matias era amigo de Ioiô, seu patrão. Brincavam e brigavam, indiferentes a qualquer lei, sem saber que, um dia, um deles ainda seria rei.

Ruth Rocha nasceu em 1931 em São Paulo, onde sempre viveu. Foi orientadora educacional e editora. Começou a escrever artigos sobre educação para a revista Cláudia, em 1967. Em 1969 começou a escrever histórias infantis para a revista Recreio. Em 1976 teve seu primeiro livro editado. De lá para cá publicou mais de cem livros no Brasil e vinte no exterior, em dezenove diferentes idiomas.
Já no dia 24 das 14h às 15h, será a vez do livro “O colecionador de Pedras”, de Prisca Agustoni, acompanhada de oficina criativa.

O livro “O colecionador de Pedras” conta a história do encontro de Ambaye e Noémia, dois jovens a procura de algo que preencha sua vida, em busca de seu destino. Ambaye adora pedras e, por causa delas, abre-se para o mundo, percorrendo sozinho os caminhos e colecionando as pedras que encontra. Apesar disso, não está só, pois guarda suas raízes em seu coração. Noémia, ao contrário, vive fechada em si mesma, triste e sozinha depois que sua tribo foi despovoada. É incapaz de notar as belezas sutis escondidas nas pequenas coisas. Ambaye resgata seus conhecimentos ancestrais, utiliza a arte da escuta, da conversa com o olhar e, finalmente ele e Noémia descobrem o sentido da amizade e do diálogo que une as pessoas.
Prisca Agustoni nasceu em Lugano, Suíça italiana. Viveu em Genebra e agora vive entre o Brasil e a Suíça. No Brasil, é professora de literatura italiana e comparada na Universidade Federal de Juiz de Fora. Poeta, narradora, tradutora, autora de literatura infantojuvenil, escreve e se autotraduz em italiano, francês, português e espanhol. Publicou livros na Suíça, em Portugal, na Itália e no Brasil. Sua mais recente publicação é Poesia scelta (2000-2012), editada em Bolonha (Itália) pela Editora Ladolfi.
Adicionar legenda
A programação do mês de novembro da Biblioteca Rocambole termina no dia 29, com a exibição do filme “Procurando Dory”, das 14h ás 15h40, na Sala Multimídia do Museu Imperial.
O filme conta a história de Dory, que um ano após ajudar Marlin a reencontrar seu filho Nemo, tem um insight e lembra de sua amada família. Com saudades, ela decide fazer de tudo para reencontrá-los e na desenfreada busca, esbarra com amigos do passado e vai parar nas perigosas mãos de humanos.

Procurando Dory é um filme de animação americano lançado em junho de 2016. Foi dirigido por Andrew StantonAngus MacLane e produzido pela Pixar/Disney. Um dos maiores sucessos de bilheteria dos últimos anos entre os filmes de animação.


Todos os eventos da programação devem ser agendados previamente através do nº 24-22330345  (Setor de Educação), de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h.

A programação mensal de atividades da Biblioteca Rocambole, bem como outras informações relativas ao seu funcionamento e acervo, podem ser acessadas no Blog da Biblioteca: http://bibliotecarocambole.blogspot.com.


Nenhum comentário:

Postar um comentário